ROSÁCEA


Quando os primeiros sintomas aparecem, podem ser confundidos com queimaduras solares. Conforme a doença se agrava, vermelhidão torna-se mais duradoura e óbvia. O paciente fica com o rosto (às vezes pescoço e colo também) muito vermelho. Em alguns casos essa vermelhidão é acompanhada de lesões inflamadas.

Rosácea pode piorar ao longo do tempo, levando a mudanças permanentes na aparência e afetando a autoestima. Não há cura conhecida para a rosácea, mas ela é tratável, com excelente controle.

Tipos

– Eritemato-telangiectásica – causa vermelhidão e vasos aparentes;
– Pápulo-pustulosa – avermelhamento e lesões que parecem espinhas;
– Fimatosa – além do rubor ainda promove inflamação na pele, tornando-a mais espessa;
– Ocular – ocorre na região dos olhos;
Causas

A doença é crônica e tem causa desconhecida. Geralmente, se manifesta em pessoas claras, que têm tendência à oleosidade e à sensibilidade, mas pode aparecer em qualquer tipo de pele. Apesar de ser mais comum em mulheres a partir de 25 anos, a doença também pode acometer homens.

Fatores de Risco

Estudos apontam que uma série de fatores pode desencadear ou agravar a rosácea, aumentando o fluxo de sangue para a superfície de sua pele. Alguns destes fatores incluem:

– Alimentos quentes ou bebidas;
– Alimentos picantes;
– Álcool;
– Temperaturas extremas;
– Exposição ao sol;
– Exercício extenuante;
– Estresse;
– Banhos quentes ou saunas;
– Uso de corticosteroides;
– Uso de medicamentos que dilatam os vasos sanguíneos, incluindo alguns medicamentos para pressão arterial.

Tratamento

Em relação aos cuidados, tudo depende do estágio. Podemos tratar apenas com produtos tópicos, medicamentos orais ou com laser para melhorar o aspecto da pele.


2020® Dra. Luciana Costa - Todos os Direitos Reservados