O envelhecimento do rosto e os procedimentos estéticos

26 de novembro de 2019 0

Conheça os principais procedimentos e as inúmeras informações sobre o rejuvenescimento da face   Imagine que você encontrou um antigo álbum de fotos e decide relembrar aqueles ótimos momentos. Você vai olhando por cada fotografia sua com nostalgia e alegria, mas volta e meia, percebe que algumas características do seu rosto mudaram bastante.     Observa

O-envelhecimento-do-rosto-e-os-procedimentos-estéticos.jpg

Conheça os principais procedimentos e as inúmeras informações sobre o rejuvenescimento da face

 

Imagine que você encontrou um antigo álbum de fotos e decide relembrar aqueles ótimos momentos. Você vai olhando por cada fotografia sua com nostalgia e alegria, mas volta e meia, percebe que algumas características do seu rosto mudaram bastante. 

  

Observa que antigamente as maçãs do rosto tinham mais volume, a pele era mais lisinha e fica se perguntando como tudo isso aconteceu.  

  

Se você tem menos de 30 anos, talvez não tenha passado por uma situação assim (ainda!), mas será que ela não acontecerá no seu futuro?  

  

Embora seja verdade que não podemos voltar no tempo e sermos iguais ao que fomos, diversos avanços na dermatologia podem nos permitir ter beleza em todas as idades.  

   

Nesse artigo, você entenderá como o envelhecimento age em cada estrutura do nosso rosto, além de conhecer o que as diferentes opções de cuidados estéticos podem fazer por você.  

♦♦♦

Como o tempo muda cada parte da face  

  

É muito comum associarmos o envelhecimento com o aspecto da pele (provavelmente por ser a camada mais aparente do corpo), no entanto, a perda de juventude age em camadas mais profundas do que a maioria imagina.  

  

  1. Tecido ósseo

  

Vamos tentar entender essas mudanças de “baixo para cima” ao falarmos primeiro dos ossos.   

  

Devido a mudanças na capacidade de absorção de nutrientes como o cálcio, o tecido ósseo tende a apresentar perda de massa progressiva. Isso altera a sua composição (deixando o mais frágil), mas também altera sua forma e contorno.  

  

Dos 30 para os 50 anos principalmente, tende a acontecer de forma gradativa:  

  

  • Um alargamento e descida do orifício da órbita dos olhos;  
  • Um crescimento das laterais da cavidade do nariz (alongando a mesma);  
  • Mudanças nas regiões malares do rosto, que tendem a diminuir a mandíbula, e afundar a região das têmporas (par de ossos laterais do crânio);  

  

Assim, esse tecido pode não ter mais tanta capacidade de manter as camadas acima (músculos e pele), com a mesma tensão. E através das rugas, da flacidez e das linhas de expressão, podemos ficar com o aspecto de rosto mais cansado e envelhecido.  

  

  1. Tecido adiposo, muscular e os ligamentos

  

Com o desgaste natural das células, todos os tecidos tendem a mostrar “sinais de degradação”Nos músculos e ligamentos, é comum a perda da sua rigidez, fazendo com que “desçam” mais pela face.    

  

Aos 30 anos, existem grandes compartimentos de gordura (chamados de coxins), que dão volume ao rosto ao preencherem espaços. No entanto, essa camada tende a se tornar mais fina e mais propensa a ação da gravidade.  

  

Por isso, além do rosto “afundar” (já que perdeu volume), é possível que também haja um aspecto progressivo de “derretimento” desses tecidos em direção as mandíbulas. E isso se intensifica nos 40 e 50 anos.  

  

  1. A pele 

  

Por ser mais superficial, não age sobre ela somente os efeitos naturais do tempo, mas também o de nossos hábitos. A exposição solar excessiva sem proteção adequada, o tabagismo, o não uso de cremes específicos para nossa pele, são alguns dos fatores que podem intensificar o envelhecimento.  

  

Assim, podemos perder aos poucos a capacidade de produção do colágeno e da elastina que são proteínas responsáveis por darem, respectivamente, sustentação e elasticidade para essa camada.  

  

Isso pode resultar em uma flacidez tecidual progressiva com rugas e linhas de expressão cada vez mais aparentes ou profundas.  

  

Além disso, enquanto nos expressamos, a contração dos músculos faciais sobre essa camada (que agora está mais frágil) tende a acelerar e aumentar essas marcas.  

  

Mas a boa notícia é que não estamos completamente “indefesos” a esses efeitos. Para saber mais sobre isso, confira o próximo tópico.   

  ♦♦♦

Os procedimentos dermatológicos para o envelhecimento do rosto   

  

Vale lembrar que a melhor forma de ação é a prevenção.  

Muitas dessas técnicas e produtos já podem ser aproveitados (mesmo que em menor quantidade ou intervalos maiores), por pessoas ao redor dos 30 anos. Assim, eles podem “reforçar” a capacidade natural do seu corpo de lutar contra os efeitos do tempo.  

  

Então, alguns dos principais procedimentos para essa idade são:  

  

*Bioestimulador de colágeno: um dos melhores produtos dessa categoria, para esse fim, é o Sculptra. Usando do Ácido poli-L-lático como agente principal, ele pode estimular a produção de fibras de sustentação da pele, assim como também ter o efeito de preenchimento. Quando aplicado em pontos ósseos estratégicos, por exemplo, ele pode devolver de forma natural, volume ao contorno perdido.  

  

Se quiser conhecer mais como ele funciona, clique aqui. 

  

* Ácido Hialurônico: principalmente quando é usado com a técnica de MD Codes, ele é aplicado em pontos estratégicos onde houve afundamento ou “derretimento” da face. Esse agente, que também é produzido pelo nosso corpo (o que diminui muito o risco de alergias), tende a gerar um efeito preenchimento aos locais onde é injetado.  

  

Se quiser conhecer mais dos benefícios dele, clique aqui. 

  

* O Ultraformer III: podendo também ser associado ao ácido hialurônico, esse aparelho usa do poder do ultrassom micro ou macrofocado para agir de maneira profunda ou superficial na pele. Agindo de maneira superficial, ele pode auxiliar na quebra das células adiposas possibilitando melhor contorno corporal ou diminuição das papadas, por exemplo. Agindo de maneira profunda, ele pode estimular a ação dos firoblastos (que produzem o colágeno) e também realinhar as fibras musculares, podendo dar um efeito de “lifting não cirúrgico”.   

  

* O botox: você lembra como os músculos faciais vão pressionando uma pele que fica cada vez mais frágil? A toxina botulínica entra aqui. Sendo aplicada de forma estratégica, ela causa uma paralisia temporária dos músculos da face que “dobram” muito os tecidos superiores. Isso pode permitir que você mantenha sua expressividade natural, amenizando também as rugas e linhas de expressão.  

  

  

E então, está pronta para ver as suas fotografias somente com alegria? Então procure um dermatologista qualificado de confiança.  

  

Se houver dúvidas sobre esse ou outro assunto, entre em contato! Será um prazer te atender!  

  

 

 


Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *


2020® Dra. Luciana Costa - Todos os Direitos Reservados